Sessao-Magna-de-Iniciacao-na-Loja-Flauta-Magica

Grande Loja Regular da Guanabara

No dia 27 de outubro no ano de 1970 Lojas dissidentes da Grande Loja do Rio de Janeiro fundam a Grande Loja Regular da Guanabara, em São Cristóvão de terceira reeleição fraudulenta do Grão – Mestre Wilson do vale Fernandes.

Suas falcatruas são expostas em dossiê intitulado “Livro Negro” . Em Julho de 1975

Na IX Assembléia da CMSB – Confederação da Maçonaria Simbólica do Brasil, começaram os entendimentos para uma possível fusão da G.L.Guanabara e G.L.Estado do Rio de Janeiro.

Logo em seguida ocorre uma Reunião das duas Grandes Lojas para determinar como seria feita a fusão. No dia 27 de Março de 1976 a Grande Loja do Estado do Rio de Janeiro começa a incorporar as Lojas da Grande Loja Regular da Guanabara, que não pertencia à CMSB, mas que estavam no território da Grande loja da Guanabara.

Em 1977 Malogram as tentativas de fusão: a Grande Loja da Guanabara, em 7 de fevereiro, e a Grande Loja do Estado do Rio de Janeiro, em 26 de março de 1977 desistem da fusão.

17 de julho de 1980 Grão-Mestres das duas Potências assinam decreto s/nº, estabelecendo a fundação da Grande Loja Unida do Rio de Janeiro em 20 de agosto de 1981.

22 de maio de 1981 Artigo de O Globo denuncia suposta vinculação de Maçons brasileiros à Loja P2 italiana.

21 de julho de 1981 Grão-Mestre da G.L. Guanabara abandona a Assembléia da CMSB. Proclamação da CMSB exclui a G.L.

Guanabara;e, finalmente: 14 de setembro de 1982 A Grande Loja da Guanabara, pelo Decreto nº 487, decreta sua própria extinção jurídica.

 

#grandeslojasmaconicas #maconsbaixada

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.